arquivo | Homeopatia RSS para esta seção

Batata Baroa

Batata Baroa, mandioquinha-salsa, batata fiúza ou barão, tem várias denominações, é uma hortaliça originária dos Andes, cultivada em clímas frios. No Brasil, é cultivada na região Centro-Sul. Procurei saber o que diferencia a batata baroa da inglesa, mas não consegui encontrar nada =/

Por ser energética é indicada para idosos, crianças e pessoas com o organismo enfraquecido. Tem ação diurética, ajudando na eliminação do exesso de água do organismo.
Por ter alto teor de cálcio e fósforo é indicada para a formação de ossos e dentes fortes e saudáveis. É rica em ferro, potássio, magnésio e vitaminas C, Beta caroteno (provitamina A) e vitamina do complexo B. Deve ser consumida crua em saladas ou cozidas em sopas e carnes.
Principais Indicações:
Compressas em dores de cabeça (colocar na testa), eritemas ou queimaduras  solares, doença renal, úlceras do estômago e do duodeno; a água de seu cozimento previne e combate “a gota”.
Tratamento:
Forma de Suco – 30ml 1 x ao dia, uso exagerado pode provocar intoxicação.
Em fatias – 1 batata pequena ao dia (crua ou cozida).
Salada: uma receita saudável e medicinal
250g de batata Baroa cortada em rodelas ou tipo palito
50g de Ervilhas verde (em lata)
50g de Milho verde (em lata)
1/2 pimentão verde
3 Tomates Maduras picados
1 Colher de sopa de óleo de oliva
5 Folhas de Acelga e de Alface Americano cortados (rasgado com as mãos).
Mistura tudo em um recipiente médio regue com o azeite, pode salpicar com gergelim preto, torrado.
Sirva com arroz e peito de frango grelhado.
Bom apetite, Beijos no Core…

Beleza simbólica

Beleza simbólica



O ser humano é um organismo complexo e misto.

Nem sei porque pensei em postar sobre isso hoje, na verdade, acho que isso é uma constante em meu trabalho, de certa forma, vejo belas mulheres à procura de algo que as deixem melhores do que já são e nessas horas me pergunto: Pra quê?
Muitas responderiam com certeza que isso é um favor a si mesma, mas a bem da verdade, isso mais tem a ver com a exposição de sua figura ao outro, a uma terceira pessoa… a preocupação em agradar o outro não permite que enxergue suas qualidades, sei lá…
A diversidade dos seres é o barato da vida, imaginem se todos os homens tivessem o rosto do David Boreanaz??
Tudo bem que pensando dessa forma, por causa da diversidade, consigo dar pulinhos de alegria!! rsrsrs (Amor, brincadeira, hein?) O que estou tentando dizer é que essa diferença, a miscigenação é que faz com que a nossa vida seja de fato interessante, diferente, divertida…
Na verdade o que nos faz especial nada tem a ver com o esteriótipo ditado por essa sociedade hipócrita.
Também não quero vir aqui e dizer que essas belas mulheres que se cuidam estão erradas.
Não é errado se cuidar…
O EXAGERO é errado, tudo em demasia não faz bem.
De que adianta fazer dietas atrás de dietas e não se privar do que realmente te engorda?
De que adianta manipular cápsulas, gastar muita grana e não se exercitar??
Bem essa é minha modesta opinião!

Pensem nisso com carinho, ok?
Como tenho que estudar sobre coisas naturais, vou deixar uma dica de beleza, ok?

Bjs no Core de vcs miguxos!

ARGILA BRANCA
MÁSCARA FACIAL DE ARGILA

Descrição: A argila é um ingrediente de origem mineral, coletada diretamente do solo, resultante da presença de feldspato – compostos derivados de alumínio, como os silicatos e os hidróxidos coloidais. Possuem ainda ferro, alumínio, boro, potássio, cálcio e enxofre, que são colaboradores de reações fundamentais para a pele. Originalmente feita com lama coletada de lava vulcânica, a fangoterapia traz os benefícios somados de desintoxicação, equilíbrio, cicatrização e refrescância da pele. A argila possui três propriedades fundamentais; absorção, liberação e adsorção e vários tipos usados para tratamento da pele, argila verde, branca, rosa, marrom, preta, amarela, cinza e vermelha.

Argila branca ou Caulim: É uma argila primária composta de silicato de alumínio hidratado resultante da alteração de rochas lavadas pela chuva. Possui um pH muito próximo da pele. É a mais leve de todas, possui propriedades cicatrizante contém diversos oligoelementos, entre os minerais encontrados destacam-se os de silício, reduz as inflamações, tem ação purificante, adstringente e remineralizante, efeito anti-séptico, cicatrizantes, devido à elevada porcentagem de alumínio presente em sua composição é indicada para peles sensíveis.

Indicação: Clareador de manchas senis, micro-esfoliador da pele, agente desintoxicante corporal, retira oleosidade da pele, combatendo cravos e espinhas, reduz rugas e sinais de expressão, adstringente, remineralizar, suavizar, cicatrizar e catalisar reações metabólicas do organismo e também pode ser usado no corpo todo.

Procedimento
Coloque em um recipiente duas colheres de sopa de argila, adicionar água ou soro fisiológico aos poucos misturando com uma espátula até formar uma pasta de consistência cremosa, antes de aplicar a argila lave o rosto previamente com sabonete, depois com um pincel vá passando no rosto no sentido debaixo para cima menos na região dos olhos e boca. Depois deixe agir por 30 minutos sem fazer movimentos faciais. Aproveite para deitar e relaxar. Passado os 30 minutos lave o rosto com água e passe um hidratante de sua preferência, sua pele vai ficar vermelha, mas logo desaparece e você vai notar a maciez e o brilho de seu rosto.
Obs.: Não se preocupe se você sentir um ardor em seu rosto após passar a mascara, é normal logo passa. A argila medicinal não tem contra indicação.
Fazer a máscara uma ou duas vezes por semana.

AROEIRA


Nome científico: Schinus molle L.
Família:
Anacardiáceas
Sinonímia popular: Aroeira vermelha, aroeira mansa, corneíba
Parte usada: Cascas , folíolos, sementes, frutos, óleo resinos
Propriedades terapêuticas: Anti-diarréica, antileucorréica, adstringente, balsâmica, diurética, emenagoga, purgativa, estomáquica, tônica, vulnerária, antiinflamatória, fungicida e bactericida
Princípios ativos: Óleo essencial: rico em mono e sesquiterpenos. Taninos, Resinas, Alcalóides, Flavonóides, Saponinas esteroidais, Esteróides, Triterpenos, cis-sabinol, p-cimeno, limoneno, simiarinol, alfa e beta pineno, delta-caroteno, alfa e beta felandeno, terechutona
Indicações terapêuticas: Azia, gastrite, febre, cistite, uretrite, diarréia, blenorragia, tosse, bronquite, reumatismo, íngua, dor-de-dente, gota, ciática

Origem

Sul do Brasil (alguns autores consideram sua origem peruana)

Princípios ativos

Óleo essencial: rico em mono e sesquiterpenos, em teor de 1% para as folhas e 5% para os frutos.

Taninos, Resinas, Alcalóides, Flavonóides, Saponinas esteroidais, Esteróides, Triterpenos. Para as sementes é citado um teor de óleo fixo da ordem de 14%. O óleo essencial da Schinus terebinthifolius contém: cis-sabinol, p-cimeno, limoneno, simiarinol, alfa e beta pineno, delta-caroteno, alfa e beta felandeno, triterpenos como o ácidomasticodienóico, 3 hidroximasticodiênomico, schinol, terechutona, baicremona e ácido terebentifólico.

Uso medicinal

As cascas e folhas secas da aroeira são utilizadas contra febres, problemas do trato urinário, contra cistites, uretrites, diarréias, blenorragia, tosse e bronquite, problemas menstruais com excesso de sangramento, gripes e inflamações em geral. Sua resina é indicada para o tratamento de reumatismo e ínguas, além de servir como purgativo e combater doenças respiratórias.

Emprega-se também contra a blenorragia, bronquites, orquites crônicas e doenças das vias urinárias.

Seu óleo resina é usado externamente como cicatrizante e para dor-de-dente.

A resina amarelo-clara (a qual endurece ao ar tornando-se azulada e depois pardacenta), proveniente das lesões das cascas, é medicamento de larga aplicação entre os sertanejos, como tônico, nos casos em que usam cascas.

Em outros tempos, a aroeira foi utilizada pelos jesuítas que, com sua resina, preparavam o ” Bálsamo das Missões “, famoso no Brasil e no exterior.

A planta inteira é utilizada externamente como anti-séptico no caso de fraturas e feridas expostas. O óleo essencial é o principal responsável por várias atividades desta planta, especialmente à ação antimicrobiana contra vários tipos de bactérias e fungos e contra vírus de plantas, bem como atividade repelente contra a mosca doméstica. Este óleo essencial, rico em monoterpenos, é indicado em distúrbios respiratórios. É eficaz em micoses, candidíases (uso local) e alguns tipos de câncer (carcinoma, sarcoma,etc.) e como antiviral e bactericida. Possui ação regeneradora dos tecidos e é útil em escaras, queimaduras e problemas de pele.

Externamente, o óleo essencial da aroeira brasileira utilizado na forma de loções, gels ou sabonetes, é indicado para limpeza de pele, coceiras, espinhas (acne), manchas, desinfecção de ferimentos, micoses e para banho.

Em muitos estudos in vitro, extratos da folha da aroeira brasileira demonstram ação antiviral contra vírus de plantas e apresentam ser citotóxicos para 9 tipos de câncer das células.

Em banhos é utilizado o decocto da casca de aroeira para combater úlceras malignas.

Uso culinário

A pequena semente do fruto da aroeira vermelha, redondinha e lustrosa, inscreve-se entre as muitas especiarias existentes e que são utilizadas essencialmente para acrescentar sabor e refinamento aos pratos da culinária universal. O sabor suave e levemente apimentado da aroeira vermelha, bem como sua bonita aparência, de uso decorativo, permite o seu emprego em variadas preparações, podendo ser utilizada na forma de grãos inteiros ou moídos. No entanto, a aroeira é especialmente apropriada para a confecção de molhos que acompanham as carnes brancas, de aves e peixes, por não abafar o seu gosto sutil.

Introduzida na cozinha européia, com o nome de aroeira poivre rose (pimenta-rosa), a aroeira vermelha acrescentou um gostinho tropical à nouvelle cuisine.

Outros usos

Devido ao alto teor de tanino, é empregada nos curtumes para curtir peles e couros. As folhas maduras passam por forrageiras. No Peru, a aroeira é utilizada após fermentação para se fazer vinagre e bebida alcoólica.

Contra-indicações

Em todas as partes da planta foi identificada a presença pequena de alquil-fenóis, substâncias causadoras de dermatite alérgica em pessoas sensíveis. Sentar-se à sombra desta aroeira implica grandes riscos, pelos efeitos perniciosos que pode provocar. As partículas que se desprendem de sua seiva e madeira seca podem causar uma afecção cutânea parecida com a urticária, edemas, febre e distúrbios visuais.

O uso das preparações de aroeira deve ser revestido de cautela por causa da possibilidade de reações alérgicas na pele e mucosas. Caso isto aconteça, suspenda o tratamento e procure o médico o mais cedo possível.

Curiosidades

Seus frutos são utilizados na Flórida para decoração de Natal, o que lhe conferiu a denominação de Christmas-berry. Em 1996, uma patente americana foi criada para um produto feito com o óleo essencial de aroeira brasileira, Schinus Terbinthifolius, como um remédio tópico de ação bactericida utilizado contra Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus para seres humanos e animais (um preparado par nariz, ouvido e peito).

A mesma companhia criou uma outra patente em 1997 para um preparado similar usado para limpeza de pele e de ação bactericida.

Por hoje é só isso, como tinha falado na postagem anterior, iria postar sobre Aroeira… Desde pequena ouço falar dessa planta, mas não imaginava que fosse encontrar  tanta informação à respeito… Na verdade, quando páro e penso que o Criador nos deixou tantas maravilhas no mundo e que a nossa própria raça vem destruindo parte de suas obras por ganância… Isso me entristece tanto… Vamos então fazer nós mesmo a nossa parte, cuidar do nosso verde, olha que em poucas postagens já percebi e acredito que vc tbm caro leitor, como essas plantas são benéficas. Se por algum motivo for arrancar um pé de alguma planta, por alguma necessidade, plante de novo!

%d blogueiros gostam disto: