Archive | setembro 2009

E-mail Recebido

Olá amigos!!!!!!!
Nossa, mais uma semana se passou e hoje vou compartilhar um e-mail que recebi da miguxa Gracy… Acredito até que muitas pessoas receberam o mesmo, nesse sistema de correntes que rola muito pela net, mas o fato é que …. ODEIO enviar e-mails, quem me conhece, sabe!
Não tenho paciência nem mesmo para encaminhar… Então vou transcrevê-lo aqui porque acredito que dessa forma, estarei “repassando”, ok?

SERÁ QUE DEUS É CULPADO ?

Finalmente a verdade é dita na TV Americana.

image002

A filha de Billy Graham estava sendo entrevistada no Early Show e Jane Clayson perguntou a ela:

‘Como é que Deus teria permitido algo horroroso assim acontecer no dia 11 de setembro?’

Anne Graham deu uma resposta profunda e sábia:

‘Eu creio que Deus ficou profundamente triste com o que aconteceu, tanto quanto nós..

Por muitos anos temos dito para Deus não interferir em nossas escolhas, sair do nosso governo e sair de nossas vidas.


Sendo um cavalheiro como Deus é, eu creio que Ele calmamente nos deixou.
Como poderemos esperar que Deus nos dê a sua benção e a sua proteção se nós exigimos que Ele não se envolva mais conosco?’

À vista de tantos acontecimentos recentes; ataque dos terroristas, tiroteio nas escolas, etc…

Eu creio que tudo começou desde que Madeline Murray O’hare (que foi assassinada), se queixou de que era impróprio se fazer oração nas escolas Americanas como se fazia tradicionalmente, e nós concordamos com a sua opinião.

Depois disso, alguém disse que seria melhor também não ler mais a Bíblia nas escolas…

A Bíblia que nos ensina que não devemos matar, roubar e devemos amar o nosso próximo como a nós mesmos. E nós concordamos com esse alguém.

Logo depois o Dr.. Benjamin Spock disse que não deveríamos bater em nossos filhos quando eles se comportassem mal, porque suas personalidades em formação ficariam distorcidas e poderíamos prejudicar sua auto estima (o filho dele se suicidou) e nós dissemos:

‘Um perito nesse assunto deve saber o que está falando’.

E então concordamos com ele.

Depois alguém disse que os professores e diretores das escolas não deveriam disciplinar nossos filhos quando se comportassem mal.

Então foi decidido que nenhum professor poderia tocar nos alunos…(há diferença entre disciplinar e tocar).

Aí, alguém sugeriu que deveríamos deixar que nossas filhas fizessem aborto, se elas assim o quisessem.

E nós aceitamos sem ao menos questionar.

Então foi dito que deveríamos dar aos nossos filhos tantas camisinhas, quantas eles quisessem para que eles pudessem se divertir à vontade.

E nós dissemos: ‘Está bem!’

Então alguém sugeriu que imprimíssemos revistas com fotografias de mulheres nuas, e disséssemos que isto é uma coisa sadia e uma apreciação natural do corpo feminino.
Depois uma outra pessoa levou isso um passo mais adiante e publicou fotos de Crianças nuas e foi mais além ainda, colocando-as à disposição da internet.
E nós dissemos:

‘Está bem, isto é democracia, e eles tem o direito de ter liberdade de se expressar e fazer isso’.

Agora nós estamos nos perguntando porque nossos filhos não têm consciência e porque não sabem distinguir o bem e o mal, o certo e o errado;

porque não lhes incomoda matar pessoas estranhas ou seus próprios colegas de classe ou a si próprios…

Provavelmente, se nós analisarmos seriamente, iremos facilmente compreender:

nós colhemos só aquilo que semeamos!!!
Uma menina escreveu um bilhetinho para Deus:
‘Senhor, porque não salvaste aquela criança na escola?’
A resposta dele:
‘Querida criança, não me deixam entrar nas escolas!!!’

É triste como as pessoas simplesmente culpam a Deus e não entendem porque o mundo está indo a passos largos para o inferno.

É triste como cremos em tudo que os Jornais e a TV dizem, mas duvidamos do que a Bíblia, ou do que a sua religião, que você diz que segue ensina.

É triste como alguém diz:

‘Eu creio em Deus’.

Mas ainda assim segue a satanás, que, por sinal,também ‘Crê’ em Deus.

É engraçado como somos rápidos para julgar mas não queremos ser julgados!

Como podemos enviar centenas de piadas pelo e-mail, e elas se espalham como fogo, mas, quando tentamos enviar algum e-mail falando de Deus, as pessoas têm medo de compartilhar e reenviá-los a outros!

É triste ver como o material imoral, obsceno e vulgar corre livremente na internet, mas uma discussão pública a respeito de Deus é suprimida rapidamente na escola e no trabalho.

É triste ver como as pessoas ficam inflamadas a respeito de Cristo no domingo, mas depois se transformam em cristãos invisíveis pelo resto da semana.

Não é verdade?

Gozado que nós nos preocupamos mais com o que as outras pessoas pensam a nosso respeito do que com o que Deus pensa…

Onde existe Deus
Existe fome, mas encontra-se o alimento,
Existe dor, mas encontra-se o remédio,
Existe guerra, mas pode-se estabelecer a Paz,
Existem problemas, mas, também, as soluções,
Pode-se estar só, mas não há solidão.

Onde Ele não está,
A fome mata,
A dor enlouquece,
A guerra dizima,
Os problemas são senhores,
E a solidão é companheira, mesmo no meio da multidão.

Cabe a cada um fazer a sua escolha e receber os resultados.
E, por incrível que pareça, esta é a única escolha que podemos mudar quantas vezes quisermos;
Afinal, Deus é o único que sempre tem os braços abertos para nós, quando o procuramos, arrependidos, independente do que tenhamos feito ao abandoná-lo e por quanto tempo estivemos afastados.

Amigos, recebi esse e-mail e pensei muito antes de postá-lo aqui… Mas o fato é que se cada pessoa dentro de seu mundo particular, independente de religião conseguir entender o que é essa dádiva que Deus nos permitiu chamado “livre arbítrio” e com bom senso viver a vida com certas “regras auto- impostas”, dando sim limites na educação de nossos filhos, sei que diante da grandeza desse mundo parece ínfimo, até mesmo utópico acreditar em esperança … em mudança, mas Com Certeza, algo positivo vc estará construindo…

rock-lee-small
“Certa vez estava aqui em casa com a Anninha assistindo Naruto Sharigan (Um anime que curtimos muito) e um dos personagens falava da importância das regras auto – impostas, de como essa educação fez a diferença e vinha fazendo a diferença em seu desenvolvimento enquanto pessoa…
Bem, reflitam sobre isso ok?
Tenham uma ótima semana

Namastê!

Coisa de Amiga…

Olá gurias,
estou aqui pra postar um selinho que ganhei da queridíssima Raíssa… Pois é, mesmo estando meio off do mundo das blogueiras, ela não se esqueceu do My Storm e eu venho aqui publicamente agradecer o carinho…

BRIGADUUUUUUUUUUU

Tenho tido uns probleminhas que acabam me impedindo de vir aqui, outras vezes, acho que não tenho nada a dizer, daí nem esquento… Afinal são tantas opções de blogs bons que existem… Que acabamos não dando conta de visitar todos que gostaríamos, não é mesmo??
As vezes fico tão cansada por estar prestando serviços a outras pessoas que as idéias simplesmente passam pela cabeça, mas escapam… Sabe como é???

Selinho Leitura Legal!

OgAAACf7IT5INYL_1wGgn8tzjMQc8rop-w1nIdOskXt2IkTl6hxUndVHdB1W3i46iywRo41xMbxbcJJHEGqXhH4CEnYAm1T1UKS3UBpZFc23fdPIk23V73KK-wrS

Regras do Selo:

* Postar o Selinho
* Indicar 3 Blogs Legais:
* Responder as Seguintes Perguntas:

1 – Qual Livro te Marcou?
2 – O Que você está lendo no momento?
3 – Qual livro daria ou deu um Filme legal na sua opinião?

Respondendo:
1 – Com certeza foi Entre o Amor e o Pecado de Kathleen Winsor
2 – Acabei de ler ontem Fala Sério, Professor! Da Thalita Rebouças (ADOREI!!) Rsrs
3 – As Crônicas de Nárnia, acho que rolou um bom filme à partir do livro.

Também queria agradecer o carinho da miguxa Selma Schuller que me deu essas plaquinhas:

doll-image
banner
Muito Obrigada linda!!!

Eis minhas indicações:

O blog novíssimo da amiga Juliana Vicente
O blog da Selminha

animationjkibbbbbb

O blog da Leninha

1

Então é isso amigos!!!
Namastê!!!

Religião não se discute, mas…

CARTA ABERTA DOS ATEUS AO PRESIDENTE LULA

Caro presidente
o senhor chegou ao poder carregado pela bandeira de uma sociedade mais justa e mais inclusiva. O uso da palavra “excluídos” no vocabulário das políticas públicas tem o mérito de nos lembrar que as conquistas de nossa sociedade devem ser estendidas a todos, sem exceção. Sim, devemos incluir os negros, incluir as mulheres, incluir os miseráveis, incluir os homossexuais. Mas, presidente, também é preciso incluir ateus e agnósticos, e todos os demais indivíduos que não têm religião.

Infelizmente, diversas declarações pessoais suas, assim como políticas do seu governo, têm deposto em contrário. Ontem mesmo o senhor afirmou que há “muitos” ateus que falam sobre a divindade da mitologia cristã quando estão em perigo. Ora, quando alguém diz “viche”, é difícil imaginar que esteja pensando em uma mulher palestina que se alega ter concebido há mais de dois mil anos sem pai biológico. Algumas expressões se cristalizam na língua e perdem toda a referência ao seu significado estrito com o tempo, e esse é o caso das interjeições que são religiosas em sua raiz, mas há muito estão secularizadas. Se valesse apenas a etimologia, não poderíamos nem falar “caramba” sem tirar as crianças da sala.

Sua afirmação é a de quem vê “muitos” ateus como hipócritas ou autocontraditórios, pessoas sem força de convicção que no íntimo não são descrentes. Nós, membros da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos, não temos conhecimento desses ateus, e consideramos que essa referência a tantos de nós é ofensiva e preconceituosa. Todos os credos e convicções têm sua generosa parcela de canalhas e incoerentes; utilizar os ateus como exemplo particular dessas características negativas, como se fôssemos mais canalhas e mais incoerentes, é uma acusação grave que afronta a nossa dignidade. E os ateus, presidente, também têm dignidade.

Duas semanas atrás, o senhor afirmou que a religião pode manter os jovens longe da violência e delinqüência e que “com mais religião, o mundo seria menos violento e com muito mais paz”. Mas dizer que as pessoas religiosas são menos violentas e conduzem mais à paz é exatamente o mesmo que dizer que as pessoas menos religiosas são mais violentas e conduzem mais à guerra. Então, presidente, segundo o senhor, além de incoerentes e hipócritas, os ateus são criminoso e violentos? Não lhe parece estranho que tantos países tão violentos estejam tão cheios de religião, e tantos países com frações tão altas de ateus tenham baixíssimos índices de criminalidade? Não é curioso que as cadeias brasileiras estejam repletas de cristãos, assim como as páginas dos escândalos políticos? Algumas das pessoas com convicções religiosas mais fortes de que se tem notícia morreram ao lançar aviões contra arranha-céus e se comprazeram ao
negar o direito mais básico do divórcio a centenas de milhões de pessoas. Durante séculos. O mundo realmente tinha mais paz e menos violência quando havia mais religião? Parece-nos que não.

A prática de diminuir, ofender, desumanizar, descaracterizar e humilhar grupos sociais é antiga e foi utilizada desde sempre para justificar guerras, perseguição e, em uma palavra, exclusão. Presidente, por que é que o senhor exclui a nós, ateus, do rol de indivíduos com moralidade, integridade e valores democráticos?

No Brasil, os ateus não têm sequer o direito de saberem quantos são. O Estado do qual eles são cidadãos plenos designa recenseadores para irem até suas casas e lhes perguntarem qual é sua religião. Mas se dizem que são ateus ou agnósticos, seus números específicos lhes são negados. Presidente, através de pesquisas particulares sabemos que há milhões de ateus no país, mas o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, que publica os números de grupos religiosos que têm apenas algumas dezenas de membros, não nos concede essa mesma deferência. Onde está a inclusão se nos é negado até o direito de auto-conhecimento? Esse profundo desrespeito é um fruto evidente da noção, que o senhor vem pormenorizando com todas as letras, de que os ateus não merecem ser cidadãos plenos.

Presidente, queremos aqui dizer para todos: somos cidadãos, e temos direitos. Incluindo o de não sermos vilipendiados em praça pública pelo chefe do nosso Estado, eleito com o voto, também, de muitos ateus, que agora se sentem traídos.

Presidente, não podemos deixar de apontar que somente um estado verdadeiramente laico pode trazer liberdade religiosa verdadeira, através da igualdade plena entre religiosos de todos os matizes, assim como entre religiosos e não-religiosos de todos os tipos, incluindo ateus e agnósticos. Infelizmente, seu governo não apenas tem sido leniente com violações históricas da laicidade do Estado brasileiro, como agora espontaneamente introduziu o maior retrocesso imaginável nessa área que foi a assinatura do acordo com a Sé de Roma, escorado na chamada lei geral das religiões.

Ambos os documentos constituem atentado flagrante ao art. 19 da Constituição Federal, que veda “relações de dependência ou aliança com cultos religiosos ou igrejas”. E acordos, tanto na linguagem comum como no jargão jurídico, são precisamente isso: relações de aliança. Laicidade, senhor presidente, não é ecumenismo. O acordo com Roma já era grave; estender suas benesses indevidas a outros grupos não diminui a desigualdade, apenas a aumenta. Nós não queremos privilégios: queremos igualdade e o cumprimento estrito da lei, e muitos setores da sociedade, religiosos e laicos, têm exatamente esse mesmo entendimento.

Além de violar nossa lei maior, a própria idéia da lei geral das religiões reforça a política estatal de preterir os ateus sempre e em tudo que lhes diz respeito como ateus. Com que direito o Estado que também é nosso pode ser seqüestrado para promover qualquer religião em particular, ou mesmo as religiões em geral? Com que direito os religiosos se apossam do dinheiro dos nossos impostos e do Estado que também é nosso para promover suas crenças particulares? Religião não é, e não pode jamais ser política pública: é opção privada.

O Estado pertence a todos os cidadãos, sem distinção de raça, cor, idade, sexo, ideologia ou credo. Nenhum grupo social pode ser discriminado ou privilegiado. Esse é um princípio fundamental da democracia. Isso é um reflexo das leis mais elementares de administração pública, como o princípio da impessoalidade. Caso aquelas leis venham de fato integrar-se ao nosso ordenamento jurídico, os ateus se juntarão a tantos outros grupos que irão ao judiciário para que nossa lei não volte ao que era antes do século retrasado.
Presidente, será que os ateus não merecem inclusão nem em um pedido de desculpas?


28/08/2009
fonte: http://atea.org.br

Comecei meu post hoje com esse assunto que achei muito interessante, afinal, vivemos em um país em que as desigualdades são tantas, a pobreza e outras coisas terríveis são tão vísiveis…. O governo comprando os menos favorecidos com benefícios que na verdade nos parece esmolas e as pessoas acabam se vendendo mesmo!!! Enfim… Não bastando esta carta, dentro do mesmo assunto, acabam se abrindo outros tópicos para discussões… Como por exemplo o acordo Brasil X Vaticano, você sabia?

AMB: acordo Brasil x Vaticano é inconstitucional

“Na questão do ensino religioso, o acordo especifica que ele é facultativo. Isso não foge a essa questão constitucional?
O ensino não é obrigatório, mas se o Estado brasileiro colocou sua assinatura em um acordo com um segmento religioso é óbvio que isso é um privilégio, é óbvio que para introduzir isso em escolas públicas vai ficar muito mais fácil e as outras religiões não terão esse espaço em virtude de um não acordo, de um não reconhecimento desses pelo Estado.

Um dos artigos do Estatuto diz que as partes irão promover bens e propriedades da Igreja que possam ser considerados “patrimônio cultural e artístico”. Essa não pode ser uma brecha para a injeção de dinheiro público em reformas de igrejas?
É outro dispositivo que mostra uma clara tendência do acordo em privilegiar um segmento religioso no país. E isso, mais uma vez, fere o dispositivo constitucional.

O que pode ser feito do ponto de vista constitucional para reverter isso, caso a matéria seja aprovada em definitivo?
Aí vamos estudar e discutir com nossos órgãos deliberativos se caberia, para o cumprimento da Constituição, um questionamento jurídico através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal.”
Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Mozart Valarades.

http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI3943857-EI6578,00-AMB+acordo+Brasil+x+Vaticano+e+inconstitucional.html

Sei que religião não se discute, mas não podemos achar que isso é bom, porque interesses e mais interesses. Cadê o estado laico hein?

Aguardo o comentário de vcs!
Tenham uma ótima semana e ótimo feriado tbm…
Bjkas

%d blogueiros gostam disto: