Archive | dezembro 2011

Feliz 2012!

Dentro de alguns dias estaremos no último dia do ano de 2011…
E depois da meia-noite, virá o Ano Novo…
O engraçado é que – teoricamente – continua tudo igual…
Ainda seremos os mesmos.
Ainda teremos os mesmos amigos.
Alguns o mesmo emprego.
O mesmo parceiro (a).
As mesmas dívidas (emocionais e/ou financeiras).
Ainda seremos fruto das escolhas que fizemos durante a vida.
Ainda seremos as mesmas pessoas que fomos este ano…

A diferença, a sutil diferença, é que quando o relógio nos avisar que é meia-noite, do dia 31 de dezembro de 2011, teremos um ano INTEIRO pela frente!
Um ano novinho em folha! Como uma página de papel em branco, esperando pelo que iremos escrever.
Um ano para começarmos o que ainda não tivemos força de vontade, coragem ou fé…
Um ano para perdoarmos um erro, um ano para sermos perdoados dos nossos…
366 dias (ano bicesto) para fazermos o que quisermos…

Sempre há uma escolha.
E, exatamente por isso, eu desejo que vocês miguxos, façam as melhores escolhas que puderem.
Desejo que sorriam o máximo que puder.
Cantem a música que quiser.
Beije muito. Ame mais.
Abrace bem apertado. Agradeça por estar vivo e ter sempre mais uma chance para recomeçar.
Agradeça as suas escolhas, pois certas ou não, elas são suas. E ninguém pode ou deve questioná-las….

Bjs no core…

A História e os Cosméticos

Olá galera!
Hoje resolvi unir o útil ao agradável. Vou me explicar…
Algumas pessoas sabem que trabalho em uma farmácia de manipulação, no início, tudo me parecia um grande mistério, mas a medida que o tempo vai passando, conhecemos melhor com o que trabalhamos, e sejamos francos,  a rotina também ajuda bastante… Enfim, comecei a entender que gostava de aprender sobre medicações Fitoterápicas e Cosméticas.
Como faço faculdade de História… Eu sei, eu sei… nada a ver uma coisa com a outra, mas ainda sim consegui unir as duas coisas, afinal em tudo pode-se ver História! Espero sinceramente que agrade a todos!

Os cosméticos surgiram no Oriente na Antiguidade e se espalharam pelo resto do mundo. Usavam-se óleos, essências de rosa e de jasmim e tinturas para os cabelos. Os primeiros registros da utilização de cosméticos datam no Egito antigo.

 
Os egípcios pintavam os olhos para evitar a contemplação direta do deus Sol, recorrendo a gordura animal e vegetal, cera de abelhas, mel e leite no preparo de cremes para a pele.

Na antiga Grécia, o blush, feito com amoras e algas marinhas, substâncias naturais, tinha sua cor extraída do cinabre (sulfeto de mercúrio), um mineral vermelho. Era usado nos lábios como batom, onde era mais facilmente ingerido podendo causar envenenamento.

O costume de pintar as unhas nasceu na China, no século III a.C. As cores do esmalte indicavam a classe social do indivíduo. Os reis pintavam as unhas com as cores preta e vermelha, depois substituídas pelo dourado e pelo prateado.

A alta sociedade de Roma tomava banhos com leite de jumenta para embelezar a pele.

Na Idade Média, o açafrão servia para colorir os lábios; o negro da fuligem, para escurecer os cílios; a sálvia, para clarear os dentes; a clara de ovo e o vinagre, para aveludar a pele. Mas os cosméticos enfrentaram vários obstáculos ao longo da história. Uma lei grega do século II proibia que as mulheres escondessem sua verdadeira aparência com maquiagem antes do casamento.

A legislação adotada pelo Parlamento britânico em 1770, permitia a anulação do casamento se a noiva estivesse de maquiagem, dentadura ou cabelo falso.

Nos anos seguintes, no entanto, a maquiagem pesada tomou conta da Inglaterra e da França. Até que a febre passou após a Revolução Francesa. Só se admitia que pessoas mais velhas e artistas de teatro usassem.

Em 1880, a maquiagem reconquistou as mulheres e nascia a moderna indústria de cosméticos.

É somente no século XX, com os avanços da indústria química fina, que os cosméticos se tornam produtos de uso geral. Na década de 70 as cores de maquiagem tornaram-se populares, acompanhando as coleções de alta costura francesa, italiana e inglesa. Cada vez que um grande costureiro lançava uma nova coleção de cores e formas para as roupas, lá vinha um tom de sombra específico para os olhos, uma nova cor de boca. E é no final da década de 80 que entram em lançamento as fórmulas evoluídas para cosméticos pigmentados. Hoje podemos nos beneficiar do produto que colore e trata a pele, limpa, perfuma e protege os cabelos, como nunca antes na história da humanidade.

Então curtiram??

 

Fitocosmética

A  fitocosmética é o segmento da cosmetologia que se dedica ao estudo e aplicação das substâncias de origem vegetal, plantas ou seus componentes, para tratar a pele, o corpo e os cabelos.
O emprego dos produtos vegetais para fins de embelezamento encontra referências há mais de 5000 anos.
A grande incidência de plantas aromáticas na China e Índia, levou às extrações de óleos essencias. Também o Egito e, depois a Mesopotâmia, se destacaram no conhecimento e emprego destes óleos e extratos vegetais em preparações de ungüentos e bálsamos com finalidade cosmética.
Cleópatra, com sua conhecida vaidade, motivou a pesquisa cosmética e, um primeiro formulário Cleopatre gynoecirium libri foi editado durante seu reinado. Neste formulário foram descritos cuidados higiênicos e tratamentos de diversas afecções da pele, sem, no entanto, dispensar pomadas coloridas e linimentos à base de plantas e óleos vegetais, com finalidade terapêutica e cosmética.
Do Oriente, o uso de produtos naturais difundiu-se para o mundo grego. O formulário “Os cosméticos de Ovídio”, no qual são mencionadas receitas e pomadas da época à base de vegetais, surge no ano IV.
Arnauld de Villeneuve, um alquimista e médico catalão do século XIII, deixou em seus manuscritos registros dos primeiros ensaios de destilação de vegetais.
Dessa época, até os dias atuais, o estudo dos vegetais e a aplicação dos seus ativos, seja na forma de extratos ou os princípios ativos isolados, vem ganhando cada vez mais espaço na indústria cosmética moderna.

Os cosméticos que contém ativos naturais, de origem vegetal, cuja ação do produto é definida por estes ativos são denominados fitocosméticos.

As preparações cosméticas com o emprego de fitocosméticos podem ser muito variáveis, dentre as quais cita-se :
* cremes ou loções hidratantes
* pomadas
* xampus e condicionadores
* perfumes
* batons

  • Óleos Vegetais

Os óleos vegetais representam uma parcela de extrema importância entre os componentes utilizados pelas indústrias cosméticas pois são fonte de obtenção de ácidos graxos, ésteres e álcools graxos que modificados quimicamente constituirão emulsionantes, emolientes, sobreengordurantes, espessantes, agentes filmogênios, etc. Seu uso direto nas formulações atende as necessidades de emoliência e lubricidade, qualidades importantes para um produto cosmetodinamicamente efetivo, que vai colaborar para a maciez e elasticidade da pele. Entre os mais empregados estão o óleo de amêndoas doces e óleo de semente de uva.

  • Óleos Essenciais

Os óleos essenciais constituem uma mistura complexa de compostos químicos, entre estes terpenóides e fenilpropanóides de alta volatilidade, que possuem uma marcante característica aromática. Devido sua composição constituída de diversos grupos ativos, como o eugenol, eucaliptol, limoneno, mentol, linalol, cânfora, além de uma infinidade de outros, tais óleos podem apresentar interessantes atividades, entre as quais efeito anti-séptico, rubefaciente , vaso-dilatador e ainda refrescância. Exemplo: Óleo essencial de Cravo (Eugenia caryophyllus)
São componentes vegetais que são extremamente voláteis, dificilmente solúveis em água, e possuem odor intenso, sendo, algumas vezes, desagradável. Em fitoterapia são consideradas somente aquelas espécies que apresentam uma quantidade razoável, entre 0,1 e 10 %.
As plantas que possuem óleos essenciais podem atuar como:

– Anti-séptica

– Diuréticas

– Antiespasmódicas

– Antiinflamatórias

– Expectorantes

  • Taninos

Os taninos são compostos polifenólicos de origem vegetal , capazes de precipitar proteínas. Possuem propriedades adstrigentes, cicatrizantes e antisépticas, tornando as plantas ricas em taninos de grande uso para loções tônicas específicas para pele oleosa. Exemplo: Hamamelis virginiana

  • Flavonóides

Os flavonóides são compostos polifenólicos relacionados à presença de isoflavonas que apresentam atividade antioxidante. Com isso os produtos finais proporcionarão ação antioxidante, prevenindo o envelhecimento precoce da pele. Exemplo: resveratrol presente na Vitis vinifera
As propriedades físicas e químicas são muito variáveis, no entanto, podem ser relacionadas algumas propriedades farmacológicas do grupo como:

– ação sobre os capilares

– ação em determinados distúrbios cardíacos e circulatórios

– ação antiespasmódica

  • Saponinas

As saponinas são glicosídeos vegetais com propriedades tensoativas, podendo ser de natureza triterpenóide ou esteroidal. Apresentam diversas ações, desde rubefaciência até detergência. Devido à ação tensoativa, plantas contendo saponinas podem ser empregadas em xampus atuando como tensoativos suaves nestas formulações. Exemplo: Centella asiática e Calendula officinalis

Biodiversidade Brasileira

Flores.gif

O Brasil apresenta uma enorme biodiversidade de espécies vegetais, o que tem facilitado o desenvolvimento da fitocosmética. As intensas buscas por novos fitoativos para cosméticos tem resultado em produtos orignais, com propriedades e aromas diferenciados. Atualmente vê-se o investimento de indústrias cosméticas na produção de produtos com ativos extraídos de plantas da Amazônia, com o apelo sustentável, como é o caso de cosméticos à base de andiroba, açaí, cupuaçu e cacau.

Principais Atividades dos Fitoativos

Fitoativo Atividade’
Ginkgo biloba antioxidante
Chá verde antiinflamatório
Aloe vera suavizador
Alantoína antiinflamatório e cicatrizante
Hamamelis virginiana adstringência
Papaia cicatrizante
Ginseng antioxidante
Óleo de melaleuca antimicrobiano e cicatrizante
Camomila antiinflamatório
Lavanda antiinflamatório
%d blogueiros gostam disto: